10 FATOS SOBRE HIPOTIREOIDISMO

 1.  O hipotireoidismo é uma deficiência da glândula tireóide em produzir seus dois principais hormônios; T3 e T4, hormônios esses que regulam o metabolismo do corpo desde o fio de cabelo até o dedão do pé.

2.  É mais comum em mulheres, principalmente naquelas com história familiar de doenças da tireóide, mas pode acometer qualquer pessoa, inclusive crianças e recém nascidos.

3.  No recém nascido, o hipotireoidismo pode ser diagnosticado nas primeiras semanas de vida através do teste do pezinho.

4.  Quando diagnosticado na criança ou no recém nascido, o tratamento tem que ser levado muito a sério e deve ser começado o mais rápido possível, pois os hormônios da tireóide irão influenciar em todo o desenvolvimento neurológico e físico do recém nascido e da criança. A falta desses hormônios pode causar retardo mental, baixa estatura e outros retardos no desenvolvimento, os quais irão piorar a qualidade de vida desse indivíduo no futuro.

5.  Os principais sintomas da doença são: ganho de peso, ressecamento da pele, queda de cabelo, unhas quebradiças, inchaço nas pernas, perda de memória, sonolência em excesso, diminuição do apetite, irregularidades menstruais e o bócio, que é o aumento da parte da frente do pescoço.

6.  No adulto, o não tratamento do hipotireoidismo pode ocasionar ganho de peso, problemas de memória, diminuição da capacidade física e mental e aumento do colesterol. Nas mulheres pode ainda causar distúrbios menstruais, infertilidade e até abortamento espontâneo.

7.  O tratamento é feito com a reposição do hormônio, a levotiroxina. As doses são variáveis para cada pessoa de acordo com o peso e com o grau de disfunção da glândula e, diferentemente das outras medicações, são em microgramas.

8.  O hormônio deve ser tomado na dose prescrita de manhã e em jejum, bem afastado de todas as outras medicações que o paciente faça uso. Costumo dizer que o hormônio da tireóide é como uma mulher, ou seja, gosta de exclusividade.

9. O hipotireoidismo quando adequadamente tratado, ou seja, quando o paciente está com os níveis hormonais de acordo com a meta estipulada, não pode ser o responsável pela obesidade e pelo baixo metabolismo do paciente. O mesmo vale para todos os sintomas de hipotireoidismo.

10. Não devemos confundir HIPOTIREOIDISMO com HIPERTIREOIDISMO. É só lembrar: tudo que é HIPER (HIPER mercado) é muito. Ou seja, no HIPERtireoidismo o indivíduo produz muito hormônio.