OBESIDADE INFANTIL - COMO EVITAR

 A obesidade infantil é um problema crescente na atualidade e é um importante fator de risco para a obesidade do adulto. Junto com ela, surgem ainda diversas doenças que contribuem para a diminuição da expectativa de vida de um determinado indivíduo, como diabetes, hipertensão arterial, disfunções hormonais, infertilidade, dentre outros.

A hereditariedade é um importante fator de risco para o desenvolvimento da obesidade. Entretanto, este fator sozinho não determinará se o indivíduo será ou não obeso. A obesidade é uma doença multifatorial, ou seja, depende de uma série de fatores que quando somados, resultam na doença propriamente dita.           

Os hábitos alimentares e a atividade física, programada ou não programada também influenciam diretamente no desenvolvimento de obesidade, tanto em crianças quanto em adolescente e adultos.           

O tratamento desta patologia é difícil e a melhor arma continua sendo a prevenção. Para isso, listarei a seguir algumas dicas sobre como proceder com as crianças de maneira a prevenir essa doença:

1. Estimulo ao aleitamento materno: o leite materno possui uma série de proteínas, minerais, imunoglobulinas e outros nutrientes nas quantidades adequadas para o bebê. Não existe suplemento alimentar para bebês que seja melhor do que o leite materno.

2. Estimule o seu filho a praticar atividades físicas. Não precisa matriculá-lo em alguma aula de judô ou qualquer outro esporte. Criança precisa de movimento. Então estimule brincadeiras em que o movimento corporal seja o fator dominante. Brincadeiras em parques ou ao ar livre são suficientes.

3. Menos tempo no videogame e mais tempo correndo.

4. Estipule uma rotina para o seu filho, mesmo nas férias. Hora para acordar, dormir, tomar banho e comer. E nada de dar biscoito ou guloseimas ao invés de comida.

5. Seja o exemplo. Toda criança aprende com exemplos. E exemplos saudáveis dentro de casa serão um alicerce importante para a construção de um futuro saudável.

Não se preocupe se será a mãe chata ou o pai chato. Na maior parte das vezes, dizer “não” no presente dará ao seu filho os limites necessários para o desenvolvimento de sua personalidade.