CRIANÇAS EM CASA E O AUMENTO DA OBESIDADE INFANTIL

Todo mundo trancafiado dentro de casa. As crianças que antes desciam para brincar, iam em festas e tinham inúmeras atividades esportivas e escolares agora, em casa, tem que arrumar uma nova perspectiva para gastar a energia.

Da mesma forma, os pais, muitas vezes, para suportarem a ansiedade e os conflitos de estarem todos daquele domicílio juntos 24h por dia e sem nenhuma previsão de quando tudo voltará ao normal, acabam por ofertarem mais alimentos menos nutritivos para si mesmos e para os filhos, muitas vezes como uma forma de conforto num momento difícil.

Não somente isso. Criança, pequena ou grande, também sente e percebe a ansiedade dos pais. E se eles comem mais por ansiedade, os filhos refletem o mesmo comportamento de forma inconsciente. Além disso, muitas vezes a criança não sabe que está ansiosa e se isso não for conversado sempre, a tendência é que ela arrume uma forma de tentar se livrar daquela emoção. É ou não é?

Se você tiver filhos ou sobrinhos, preste atenção nisso. Crianças obesas tem mais risco de se tornarem adultos obesos. E a
obesidade é fator de risco mais que conhecido para o agravamento da infecção por COVID. Além disso, a alimentação saudável é fundamental para manter íntegro o sistema imunológico e todas as diversas funções do corpo, incluindo as cognitivas.

O que fazer então? Criar uma rotina de alimentação saudável para a criança, sem ficar ofertando com mais frequência aqueles alimentos que elas adoram mas que fazem um mal danado.

Quem ama também precisa colocar certos limites.