INSÔNIA = MELATONINA ?

​    Com a liberação da Melatonina para prescrição e uso no Brasil, observo que muitos pacientes tem se auto medicado com ela para resolver questões relativas a insônia. Alguns com sucesso, outros não.

E vamos conversar sobre.    

Primeiro de tudo: a insônia é o distúrbio do sono mais comum e afeta de maneira significativa a saúde em geral, levando a queda no rendimento diurno, depressão e acidentes em geral. Cerca de 10-22% da população geral pode sofrer de insônia crônica.    

Entretanto, para uma abordagem terapêutica adequada, é necessária, na anamnese, uma história do sono que inclua queixas específicas, como: presença de comorbidades, uso de medicamentos / suplementos / psicotrópicos / álcool e drogas, horas de sono/noite ; profundidade do sono, dentre diversos outros questionamentos que nos permitem – como profissionais – indicar o melhor tratamento para aquele indivíduo. Em alguns casos são necessários até exames complementares para o melhor diagnóstico da causa naquele indivíduo.    

Redundar a Insônia a deficiência de melatonina é um tanto reducionista. Melatonina em excesso aumenta os níveis de serotonina e deprime os de dopamina, além de causar algumas outras alterações relativas a neurotransmissores cerebrais. Nem sempre aquilo que é natural é o mais indicado para você naquele momento. Existem outros caminhos.    

Portanto, Insônia NÃO é igual a MELATONINA. Procure um profissional para ajuda-lo neste processo.