A REPOSIÇÃO DE ANDROGÊNIOS NA MULHER

 Os androgênios são hormônios da família da testosterona. São produzidos pelos testículos, nos homens, e pelas glândulas supra renais e ovários, nas mulheres.

Suas funções no organismo humano vão desde a diferenciação sexual ainda na vida intra uterina, até a composição corporal do indivíduo adulto.Por serem semelhantes à testosterona, que é um hormônio masculino, é produzida em quantidades muito maiores nos homens do que as mulheres. Entretanto, algumas mulheres podem, por diversos motivos, apresentar deficiências dessa família de hormônios, o que pode trazer  consequências para a saúde física dessas pacientes.

São eles:

1. Avanço da idade e menopausa;

2. Cirurgia para retirada de ovários;

3. Insuficiência supra renal (ou adrenal);

4. Uso de anticoncepcionais;

5. Uso de corticoides;

6. Outras doenças crônicas.

A mulher que apresenta deficiência dos hormônios androgênicos pode apresentar os seguintes sintomas:

 - Mal estar, cansaço;

 - Alterações do humor;

 - Diminuição da libido e da lubrificação vaginal;

 - Perda de massa óssea e de massa muscular;

 - Diminuição dos pelos pubianos;

 - Alterações na memória;

 - Diminuição da qualidade de vida.

Uma vez diagnosticada com a deficiência androgênica pelo endocrinologista e retirados os fatores de risco que contra indiquem o tratamento, a reposição desses hormônios em doses fisiológicas pode melhorar a qualidade de vida da mulher, aumentar a massa óssea, modificar a composição corporal, com diminuição do percentual de gordura e aumento da massa muscular, além de estimular a libido.O tratamento é variável de paciente para paciente e podem ser usadas medicações orais ou em gel transdérmico. E, é claro, deve ser supervisionado por um especialista.Lembre-se da regra: a diferença entre veneno e remédio é a dose!