PALATINOSE: O QUE É?

A palatinose, açúcar produzido a partir da beterraba, que também ocorre em pequenas quantidades em outros alimentos, tem sido utilizada como adoçante desde 1985 no Japão.

Ela, assim como a sacarose, é um dissacarídeo, ou seja, um monossacarídeo (frutose) ligado a outro monossacarídeo (glicose). Entretanto, difere-se quimicamente da sacarose em níveis de ligação molecular. Ao passo que esta é rapidamente digerida pelo organismo, a primeira é mais lentamente digerida pelas enzimas duodenais. Isso resulta em uma liberação lenta de energia no corpo humano e, consequentemente, em uma baixa liberação de insulina em decorrência de um pico de glicose mais baixo e gradativo.

Por isso, a palatinose fornece ao corpo energia total por um período de tempo maior, sendo usualmente indicada no meio esportivo para atletas de endurance, ou seja, aqueles que se exercitam por um longo período de tempo.

Além disso, na presença de um menor pico de insulina e na liberação lenta e gradativa deste importante hormônio, tem sido observada uma maior sensação de saciedade por um maior período de tempo pelos adeptos de seu uso. Altas concentrações de insulina estão relacionadas a uma menor quebra de gorduras ao passo que uma secreção mais lenta e gradativa se associa diretamente a um aumento da lipólise (quebra de gorduras).

Outra qualidade peculiar desse dissacarídeo se baseia no fato de ele não ser digerido pelas enzimas presentes na saliva, sendo inofensivo aos dentes.